Sociologia no Colégio Graham Bell

T Ó P I C O : Para o 1º e para o 3º anos (16/11)

Informações da Comunidade

Criado em: 07/08/2009

Tipo: Empresa

Membros: 172

Visitas: 260.010

Mediador: João Paulo Rangel

Comunidade da disciplina de Sociologia do Colégio Graham Bell/RJ

Site: http://www.colegiogbell.com.br/

Adicionar ao Google Reader Adicionar ao Yahoo Reader Adicionar aos Favoritos BlogBlogs


Comentários do Tópico

Para o 1º e para o 3º anos (16/11)


Autor: João Paulo Rangel

27.280 visitas

22 comentários

Último comentário neste tópico em: 20/02/2013 19:57:35


João Paulo Rangel comentou em: 16/09/2011 08:25

 

Para o 1º e para o 3º anos (16/11)

 

 

OS MOVIMENTOS SOCIAIS

Os movimentos sociais são ações coletivas com o objetivo de manter ou mudar uma situação. Eles podem ser locais, regionais, nacionais e internacio­nais. Há vários exemplos de movimentos sociais em nosso dia-a-dia: as greves trabalhistas (por melhores salários e condições de trabalho), os movimentos por melhores condições de vida na cidade (por transporte, habitação, educa­ção, saúde, etc.) e no campo (pelo acesso à terra ou pela manutenção da atual situação de distribuição de terras), os movimentos étnicos, feminista, ambiental e estudantil, entre outros.

Além desses movimentos organizados, existem outros que podemos cha­mar de conjunturais. São os que duram alguns dias e desaparecem para, depois, surgir em outro momento, com novas formas de expressão. Por causa dessa di­ferença e mobilidade, é preciso analisar cada tipo de movimento para entender as idéias que motivam e sustentam as ações, assim como seus objetivos.

Os movimentos sociais não são predeterminados; dependem sempre das condições específicas em que se desenvolvem, ou seja, das forças sociais e políticas que os apóiam ou confrontam, dos recursos existentes para manter a ação e dos instrumentos utilizados para obter repercussão.

Os movimentos sociais que se mantêm durante um longo tempo tendem a criar uma estrutura de sustentação e uma organização burocrática, por mínima que seja, para continuar atuando. Ao se institucionalizar, correm o perigo de perder o vigor, pois, para continuar sua ação, devem também obter recursos e assumir gastos com aluguel de uma sede, telefone, pessoal de apoio fixo e ma­teriais. A preocupação que antes se concentrava em organizar as ações efetivas divide-se assim com a preocupação em manter uma estrutura fixa, deslocando uma pane das energias para outro foco.

Existem também movimentos cujo objetivo é desenvolver ações que favoreçam a mudança da sociedade com base no princípio fundamental do reconhecimento do outro, do dife­rente. Por meio desses movimentos, procuram-se disseminar visões de mundo, idéias e valores que proporcionem a diminui­ção dos preconceitos e discriminações que prejudicam as rela­ções sociais. Exemplos são os movimentos étnico-raciais, gay, feminista e pela paz e contra a violência.

Conforme o sociólogo alemão Axel Honneth, as lutas sociais vão além da defesa de interesses e necessidades, tendo como alvo também o reconhecimento individual e social. Quando um indivíduo se engaja num movimento social, procura fazer que suas experiências com os sentimentos de desrespeito, vergo­nha e injustiça inspirem outros indivíduos, de modo que sua luta se transfor­me numa ação coletiva, de reconhecimento pessoal e social. Para Honneth, “uma luta só pode ser caracterizada de social na medida em que seus objeti­vos se deixam generalizar para além dos horizontes das intenções indivi­duais, chegando a um ponto em que eles podem se tornar a base de um movimento coletivo”.

Rebelião contra a desigualdade de direitos na França

Em 27 de outubro de 2006, dois adolescentes franceses, filhos de imigrantes, morreram em circunstâncias que ainda não foram esclarecidas. Diz-se que eles fugiam da polícia e acabaram em um beco sem saída, no final do qual existia uma subestação de eletricidade. Eles foram eletrocutados. Um terceiro rapaz sobreviveu, mas com ferimentos graves. O rumor de que a polícia havia levado os dois à morte rapidamente se espalhou. Desde então, ocorreram distúrbios nas ruas todas as noites. Os manifestantes eram filhos de imigrantes da África do norte e subsaariana.

A situação piorou quando o então ministro do Interior, Nicolas Sarkozy (eleito presidente francês em 2007) chamou as gangues de jovens de “escória” e “gentinha”, afirmando que deviam ser enfrentadas com severidade. Durante doze noites consecutivas, recipientes de lixo e veículos foram queimados no departamento de Seine-Saint-Denis. Noite após noite, bandos de adolescentes percorreram os bairros atirando coquetéis Molotov em lojas e veículos – 250 numa noite, 315 na outra, 500 na seguinte.

As divisões na sociedade francesa hoje percorrem linhas étnicas e religiosas, e também refletem profundas diferenças culturais. O ideal da República Francesa – a nação como uma comunidade de cidadãos que desfrutam direitos iguais, independentemente de suas origens étnicas ou crenças religiosas - está dando lugar a uma coexistência volátil entre comunidades que querem manter sua identidade e viver de acordo com as próprias regras.

A escola não consegue reduzir as desigualdades. As discriminações no que diz respeito ao acesso a moradia ou ao emprego são consideráveis. Os que se revoltam perguntam: de que adianta a educação quando não há empregos? E declaram “Nós queremos ser filhos da república de maneira plena e completa. O que nós não queremos é ser excluídos de maneira plena e completa. Nós queremos ser reconhecidos”.

A rebelião daqueles jovens na França foi dirigida contra qualquer coisa que lembrasse mesmo remotamente a autoridade do Estado. Eles estavam além da razão e ninguém – nem seus pais, nem os professores, muito menos as autoridades - conseguia alcançá-los.

Os protestos de 2006 podem lembrar os de estudantes de 1968, mas dessa vez os manifestantes não eram os estudantes universitários de vanguarda e seus líderes não eram intelectuais de esquerda; eram filhos de imigrantes que acreditaram que pudessem ser cidadãos iguais aos outros franceses.

 

1-As ações praticadas em 2006 pelos jovens filhos, de imigrantes na França tiveram conteúdo reivindicatório ou foram apenas uma manifestação de inconformismo com a situação de exclusão e de descrença nas instituições francesas?

2-Se a rebelião tinha um conteúdo reivindicatório, qual era?

3-Qual é a atual configuração da sociedade francesa, em relação às etnias que a formam? Dê exemplos.

4-Ações rebeldes como as descritas no texto podem contribuir para o avanço da luta pelo direito à igualdade numa sociedade como a francesa? Por quê?

Visualizar | |   Comentar     |  


Daniel de Carvalho comentou em: 16/09/2011 09:17

 

Daniel de Carvalho, só.

 

  1. Eles tiveram um conteúdo reinvidicatório que ao mesmo tempo foi uma manifestação de inconformismo, é difícil qual entre essas duas opções é a mais corretas.
  2. Eles, por serem filhos de imigrantes, queriam ser iguais a toda a população francesa, não querendo desigualdade.
  3. A partir do que está no texto, desigual, por exemplo, uma família africana chega ao território francês e não consegue oportunidade de fazer certas coisas, como empregos e etc. É como se eles não existissem para os franceses.
  4. Não, o mais simples seria fazer protestos pacíficos, não causar destruição nas ruas como um modo de protestar.

Visualizar | |   Comentar     |  


João Victor Mesquita comentou em: 16/09/2011 09:21

 

Trabalho de sociologia -João Victor e João Pedro-

 

 

1-As ações praticadas em 2006 pelos jovens filhos, de imigrantes na França tiveram conteúdo reivindicatório ou foram apenas uma manifestação de inconformismo com a situação de exclusão e de descrença nas instituições francesas?

As ações praticadas pelos jovens apesar de ter um ideal e por natureza o desejo de uma sociedade que aceite os imigrantes, não possúiu conteúdo reivindicatório, os jovens apenas mostraram-se inconformados com a situação e o descaso do poder público com os não nascidos na frança

2-Se a rebelião tinha um conteúdo reivindicatório, qual era?

Se essa rebelião tivesse por intuito a reivindicação, seria por igualdade de direitos, entre franceses e imigrantes

3-Qual é a atual configuração da sociedade francesa, em relação às etnias que a formam? Dê exemplos.

Hoje em dia, a sociedade francesa é formada, principalmente, por "franceses puros". Mesmo que ela tenha sua parte do "gueto", os negros e imigrantes, eles não são considerados cidadãos com direitos iguais, pois o governo não olha com um olhar igual para eles.

4-Ações rebeldes como as descritas no texto podem contribuir para o avanço da luta pelo direito à igualdade numa sociedade como a francesa? Por quê?

Se bem emprega podem sim causar mudanças, tanto éticas quanto políticas, sociais, econômicas, ambientais e etc. O manifesto dos jovens imigrantes da frança em 2006 foi muito importante para eles e para outros imigrantes de outros países, mostrando que unidos e lutando por uma causa maior, podem fazer a diferença ou no mínimo chamar a atenção da imprensa.

Visualizar | |   Comentar     |  


Isabelle Silva comentou em: 16/09/2011 09:24

 

Isabelle e Carlos Fernandes

 

 

1)Foi apenas um conteúdo reinvidicatório que ao mesmo tempo foi uma manifestação de inconformismo.
2)Eles, por serem filhos de imigrantes, queriam que os direitos fossem iguais os da população francesa.
3)Em relação ao texto, possui desigualdade  por exemplo pessoas de outros paises mais pobres chegam na frança e nem tem chance com trabalhos.
4)Não, o mais simples seria fazer protestos pacíficos, não causar destruição nas ruas como um modo de protestar.

Visualizar | |   Comentar     |  


Juan Carlos comentou em: 16/09/2011 09:28

 

Respostas !

 

 

1 - Acho que foi um ato de se manisfestar com o que tinha acontecido , a situação piorou quando o Ministro Nicolas Sarkozy , chamou as gangues de jovens de " grupinho " , automaticamente os " grupinhos " se rebelaram e foram para as ruas protestar , tacando fogo em lixos , carros , tacando coquetéis Molotov em lojas .
 
2 - A reivindicação por parte dos jovens franceses era melhorar a moradia, tendo mais oportunidade de emprego e assim serem reconhecidos como cidadões francesese, não apenas filhos de imigrantes e sempre mantendo suas indentidades de seus antepassados e não acarretarem preconceitos por isso.
 
3 - Hoje a sociedade Francesa é um caldeirão , onde tem várias culturas , raças , religiosas , acaba se refletindo no dia a dia da sociedade .
 
4 - Sim . Os jovens de hoje são o futuro de amanhã , se eles lutarem para mudar algo hoje , é para melhorar amanhã , aprimorar o futuro , assim como os jovens , todos nos devemos lutar pela igualdade social , devemos lutar pelo o que queremos , assim mostramos as nossas forças , o povo unido jamais será vencido .

Visualizar | |   Comentar     |  


Karen comentou em: 16/09/2011 09:29

 

Os movimentos sociais

 

1-Foi apenas uma manifestação de inconformismo com a situação de exclusão das pessoas de outra etnia e religião.


 

2-A rebelião tinha sim um conteúdo reivindicatório, que era respeitar os ideias da Republica Francesa “a nação como uma comunidade de cidadãos que desfrutam direitos iguais, independentemente de suas origens étnicas ou crenças religiosas”.


 

3- As divisões na sociedade francesa hoje percorrem linhas étnicas e religiosas, e também refletem profundas diferenças culturais. Um exemplo é nas escolas que ocorre descriminação entre os alunos e na hora de procurar um emprego.


 

4-Na minha opinião não, porque no meu ponto de vista a sociedade francesa é preconceituosa e tem um pouco de medo de perder lugar na área de trabalho para os imigrantes seja de qualquer parte do mundo. Se nas escolas francesas existe também essa desigualdade não vai ser na hora de procurar emprego e nem uma rebelião que irá tornar a França um país mais igual.

 

Visualizar | |   Comentar     |  


RaulK comentou em: 16/09/2011 09:29

 

Raul

 

 

 
1) Foi uma manifestação reinvindicatória , pois os imigrantes estavam lutando pelo direito de serem tratados como franceses legítimos. Queriam igualdade de direitos .
 
2) Tinha um conteúdo reinvindicatório e o mesmo era a igualdade de direitos e julgamento aos imigrantes por parte dos franceses. Não queriam ser tratados de forma diferente por serem imigrantes.
3) Diferentes e etnias e religiões o que reflete em profundas diferenças culturais.
 
 
4) Não , porque, se eles queriam reinvidicar e conseguir atenção do Estado , isso conseguiram, só que não de uma forma boa.O Estado só confirmou o motivo de seu preconceito de que os imigrantes são baderneiros e são más influências para o povo local e etc... Muitas das vezes, como no caso da Líbia , a guerrilha é a última alternativa , embora eu não seja a favor da violência naquela situação não tinha jeito, se não fosse isso pode ser que demorasse mais longos anos de poder pra ele e seus decendentes. Só que no meio desses manifestantes existem muitos baderneiros , saqueadores , bandidos que se aproveitam da situação. Por isso a revolta violenta dessa forma deve ser a última das últimas soluções.

Visualizar | |   Comentar     |  


Bárbara Pessata comentou em: 16/09/2011 09:31

 

Dupla: Bárbara Pessata e Danielle Cano

 

1-As ações praticadas em 2006 pelos jovens filhos, de imigrantes na França tiveram conteúdo reivindicatório ou foram apenas uma manifestação de inconformismo com a situação de exclusão e de descrença nas instituições francesas?  

Foram os dois, pois os filhos de imigrantes queriam solicitar algo de direito, por conta do inconformismo da situação de exclusão, e da desigualdade por conta de serem imigrantes. E a perseguição do governo Francês contra os imigrantes, foi um dos motivos da revolta.

 
2-Se a rebelião tinha um conteúdo reivindicatório, qual era?
O pedido de reivindicação era por motivos étnicos e raciais, pois o governo Francês tem preconceitos contra essa população imigrante, fazendo-os ser exclusos pelo resto da população, tendo revoltas.
 
3-Qual é a atual configuração da sociedade francesa, em relação às etnias que a formam? Dê exemplos.
São preconceituosos, não aceitam certas culturas e línguas. Um turista não conhecedor da língua local, ao tentar falar algo no idioma do país, é descriminado, pois para eles ou você fala corretamente o francês ou nem tente falar.
 
4-Ações rebeldes como as descritas no texto podem contribuir para o avanço da luta pelo direito à igualdade numa sociedade como a francesa? Por quê?
Sim, porque as revoltas fazem com que a sociedade francesa tenha mais direitos igualitários, não por serem diferentes da maioria, até porque são cidadãos franceses, e merecem como qualquer outro respeito, isso fará com que toda a população evolua, e não haja diferenças raciais e étnicas.

Visualizar | |   Comentar     |  


Daniele Rangel da Silveira comentou em: 16/09/2011 09:34

 

Daniele Rangel e Andressa.

 

 

1-As ações praticadas em 2006 pelos jovens filhos, de imigrantes na França tiveram conteúdo reivindicatório ou foram apenas uma manifestação de inconformismo com a situação de exclusão e de descrença nas instituições francesas?
R: Foi inconformismo, pois eles estavam lutando contra a indiferença.
 
2-Se a rebelião tinha um conteúdo reivindicatório, qual era?
R: Nenhuma, porque eles queriam uma coisa na qual não tinham direito por serem imigrantes. 
 
 
3-Qual é a atual configuração da sociedade francesa, em relação às etnias que a formam? Dê exemplos.
R: Percorrem linhas étnicas e religiosas, e também refletem profundas diferenças culturais. ex: A nação como uma comunidade de cidadãos que desfrutam direitos iguais, independentemente de suas origens étnicas ou crenças religiosas - está dando lugar a uma coexistência volátil entre comunidades que querem manter sua identidade e viver de acordo com as próprias regras.
 
4-Ações rebeldes como as descritas no texto podem contribuir para o avanço da luta pelo direito à igualdade numa sociedade como a francesa? Por quê?
R: Sim e não, porque não só os de classes baixas mais também os imigrantes lutam para conseguir igualdade e terem os mesmos direitos que os cidadões de classes mais altas(média e alta). Todos lutando juntos pode até fazer com que eles sejam percebidos, mas um país como a França, com os poderes que tem não irá se "rebaixar" ao ponto de deixar simples pessoas e imigrantes se igualarem a eles.

Visualizar | |   Comentar     |  


Àriel M. Fornasier comentou em: 16/09/2011 09:38

 

Ariel e Caio -

 

 

1-As ações praticadas em 2006 pelos jovens filhos, de imigrantes na França tiveram conteúdo reivindicatório ou foram apenas uma manifestação de inconformismo com a situação de exclusão e de descrença nas instituições francesas?

As ações dos jovens em 2006 foi claramente, vista como uma manifestação de inconforrmismo e de desaponto, pois por mais que eles fossem imigrantes possuiam direitos de um ser humano, e dependendo do caso direitos de um cidadão francês.

2-Se a rebelião tinha um conteúdo reivindicatório, qual era?

O conteudo da rebelião era reivindicar os direitos dessas pessoas na sociedade na frança. 

 

3-Qual é a atual configuração da sociedade francesa, em relação às etnias que a formam? Dê exemplos.

A sociedade francesa possue como definições sociais, a mesma de um país democrático onde é dito que não existe uma "descriminação" onde na verdade o povo é dividido por cor e classe.

4-Ações rebeldes como as descritas no texto podem contribuir para o avanço da luta pelo direito à igualdade numa sociedade como a francesa? Por quê?

Por que as pesoas querem defender seus ideiais a favor do seu povo,geralmente o motivo da aparição de um organização serve para isso.grupos rebeldes como os panteras negras (Grupo de rebeldes negros que surgio em meados dos anos 60) lutam para defender seus direitos na sociedade, eles lutam a favor do seu povo       

Visualizar | |   Comentar     |  



123